Portal da Prefeitura de Cabo Frio

100 Dias | Salários em dia: o grande desafio da atual gestão

Por em 11/04/2017
Ao assumir a Prefeitura em janeiro, o quadro encontrado pela atual gestão em todas as esferas da Prefeitura de Cabo Frio mostrava um funcionalismo sem dignidade, sem condições de trabalho e sem salário pelo serviço prestado. Um funcionalismo em greve por não ter seus direitos garantidos pela administração municipal anterior. 

Antes mesmo de assumir a gestão, regularizar os pagamentos dos servidores já era um dos principais compromissos da equipe do Governo Marquinho Mendes. Diante disso, logo no primeiro dia de administração o prefeito elaborou um calendário de pagamentos para devolver os direitos dos trabalhadores.

Mesmo sacrificando a realização de obras para devolver a ordem que Cabo Frio merece, os pagamentos ainda são prioridade e o maior desafio encontrado pela equipe das Secretarias de Administração e Fazenda.

“O funcionalismo é nossa prioridade, precisávamos voltar a valorizá-los, mesmo sabendo que para isso não podemos fazer grandes obras. Mas continuaremos avançando, devolvendo ao trabalhador os direitos que ele tem e fazendo o dinheiro circular na cidade’, declarou o prefeito Marquinho Mendes.

Em 100 dias foram pagos cerca de R$ 85 milhões de salários atrasados, fora os pagamentos das folhas do mês em curso.

“Pagamos 50% do 13° salário da Educação; 2/5 de 2015, também na Educação; duas folhas de pagamento do Ibascaf e o 13° salário; duas folhas e meia do restante do funcionalismo municipal, o que dá em torno de R$85 milhões”, informa o secretário de Fazenda, Clésio Guimarães, que ressalta que este número não compreende encargos e pagamentos a fornecedores.

Mesmo com todos os desafios, Clésio acredita que os pagamentos atrasados do funcionalismo municipal estejam completamente regularizados no mês de julho. “Percebe-se que a cidade tem outro aspecto, o comércio está mais movimentado, são os efeitos colaterais dessa regularização do pagamento. O governo Marquinho Mendes devolveu dignidade, esperança, transparência. É apenas o início do caminho, temos muito a fazer”, concluiu Clésio Guimarães.

Segundo o secretário de Administração, Deodoro Azevedo, a dívida com encargos, encontrada pela equipe da pasta chega a R$150.000.000,00 (cento e cinquenta milhões de reais). Mas a Secretaria Municipal de Administração, por determinação do Prefeito, trabalhou desde o primeiro momento para regularizar as pendências deixadas pelo governo anterior.

“Inclusive, algumas categorias estavam em greve por mais de seis meses, devido a falta de pagamentos dos respectivos salários. Sendo assim, após exaustivas negociações, todos os servidores voltaram ao trabalho e os acordos firmados estão sendo cumpridos. Cabe esclarecer que não foi o único empecilho à volta à normalidade nesta Secretaria, pois a anarquia administrativa encontrada, até a presente data, continua impactando no desenvolvimento das atividades”, informou Deodoro.

O secretário de Administração ressaltou ainda que os parcelamentos seguem até julho, quando então poderão retomar a rotina de uma folha de pagamento por mês. Mas para Deodoro, na esfera da administração há muito a ser feito.

“O ex-prefeito no último ano cometeu diversas barbáries administrativas. Todavia, essa crise que nós enfrentamos é uma crise fecunda, redentora, renovadora. Nós não podemos mais admitir que políticos e administradores públicos nos deixem em situações como essa”, declarou Deodoro,que aproveitou para ressaltar que diversas ações administrativas estão comprometidas por conta do cenário de caos administrativo.