Portal da Prefeitura de Cabo Frio

Presidente da Fundação Cultura Palmares participa da 27ª edição da Semana Teixeira e Sousa

Por da Redação em 27/03/2017
A 27ª edição da Semana Teixeira e Sousa recebe nesta terça-feira (28), o presidente da Fundação Cultural Palmares, Erivaldo Oliveira da Silva, entidade vinculada ao Ministério da Cultura (MinC). Ele vai realizar a certificação da Comunidade Quilombola Espírito Santo, localizada no bairro Araçá, no Distrito de Tamoios. O ato está marcado para às 9h30, no auditório da Prefeitura. 

A Fundação Cultural Palmares é a primeira instituição pública voltada para promoção e preservação da arte e da cultura afro-brasileira. O documento reconhece os direitos das comunidades quilombolas e dá acesso aos programas sociais do Governo Federal. A instituição é referência na promoção, fomento e preservação das manifestações culturais negras e no apoio e difusão da Lei 10.639/03, que torna obrigatório o ensino da História da África e Afro-brasileira nas escolas.

 A Fundação Palmares já distribuiu publicações que promovem, discutem e incentivam a preservação da cultura afro-brasileira e auxiliam professores e escolas na aplicação da Lei. Já foram emitidas mais de 2.476 certificações para comunidades quilombolas.

A Comunidade Quilombola Espírito Santo fica localizada na área rural de Cabo Frio, no bairro Araçá, onde moram cerca de 100 famílias descendentes de africanos escravizados que lutam pela preservação de sua cultura e a garantia de seus direitos. Ela está entre as cinco comunidades que existem no município. 

FAZENDA CAMPOS NOVOS
A Comissão da Verdade sobre a Escravidão no Brasil e lideranças quilombolas apresentam a proposta de tornar a Fazenda Campos Novos, no Segundo Distrito, referência da cultura afro-brasileira na tarde desta terça, às 17h. A apresentação será na própria fazenda. O local foi escolhido devido à existência de cinco comunidades quilombolas no seu entorno.

Em Cabo Frio há os quilombos Espírito Santo, Maria Romana, Botafogo, Preto Forro e Maria Joaquina. Nelas vivem aproximadamente 100 famílias, que somam cerca de quatro mil pessoas.

A Fazenda Campos Novos está no centro dessas comunidades. Ela foi construída em 1690 pelos jesuítas e abriga um conjunto arquitetônico composto por casa-grande, igreja e cemitério. Atualmente, a fazenda é usada como sede da Secretaria de Agricultura e também abriga o Canil Municipal.