Portal da Prefeitura de Cabo Frio

Rios se destacam nas belezas naturais de Tamoios

Por em 07/06/2017
Cabo Frio é reconhecidamente uma cidade de inúmeras belezas naturais. Além das famosas praias, que são constantemente cenários de novelas, filmes e propagandas, a cidade possui uma importante riqueza de bacias hidrográficas.
 
As bacias são compostas por três rios: o Rio Una, o Rio Gargoá e o Rio São João. Eles representam importante fonte de renda para os mais de 300 pescadores locais.

Rio Una
O Rio Una nasce em Araruama e tem como formador o Rio Gordinho, próximo à Via Lagos (RJ-124). A nascente do Rio Una é no Morro de Igarapiapunha (limite tríplice entre Araruama, Iguaba Grande e São Pedro da Aldeia), com pouco mais de 130 metros de altitude.
 
No início do seu curso, na área das colinas, o Rio Una recebe pela margem direita os Rios Conceição e o Carijó, e passa pela Vila de São Vicente, bairro da zona rural de Araruama. Pouco depois da confluência com o Carijó, o Rio Una ingressa na baixada e segue por 23 Km até atingir sua foz, no município de Armação dos Búzios.

Seu curso ao longo da baixada é uma sucessão de quatro retas até a Rodovia Amaral Peixoto (RJ-106). Neste ponto em diante, já dentro dos limites do distrito de Tamoios, ao norte, o rio faz um trajeto em formato de meia lua até desaguar na praia Rasa, em Búzios, dentro da propriedade da Marinha do Brasil.

A bacia hidrográfica do Rio Una possui cerca de 480 Km² e é importante para o abastecimento de água, principalmente de populações ribeirinhas, das cidades de São Pedro da Aldeia, Cabo Frio, Armação dos Búzios, Araruama e Iguaba Grande. Limita-se ao norte com a bacia do rio São João, a oeste e ao sul com a da Lagoa de Araruama, e a leste com a península de Búzios.

Rio São João
O Rio São João nasce na Serra do Mar, próximo à APA de Macaé de Cima, nos limites de Silva Jardim, Cachoeiras de Macacu e Nova Friburgo. Descendo a serra, o rio faz a limite entre duas cidades: Cabo Frio e Casimiro de Abreu.

A foz do rio é em Barra de São João, distrito de Casimiro de Abreu. O Rio São João também colabora para o abastecimento de água, mas, justamente para ele ser poupado, foi feito o represamento da Lagoa de Juturnaíba, que é a principal fonte de abastecimento de água na Região dos Lagos. O São João é um dos principais rios do Estado do Rio de Janeiro. Ele nasce e deságua dentro do próprio estado.

Sua superfície é de 2.160 Km com perímetros de 266 Km. A região hidrográfica do Rio São João possui uma peculiaridade. Ela tem o formato de uma pera, o que proporciona lindas imagens aéreas.  

Seus afluentes pela margem esquerda são os rios Panelas, São Lourenço, Águas Claras, dos Pirineus ou Crubixais, Bananeiras e Riachão, o Córrego do Espinho, os Rios Maratuã, Indaiaçu, Aldeia Velha, Dourado e Lontra e as valas dos Meros, dos Medeiros e da Ponte Grande. Pela margem direita deságuam os Rios Gaviões, do Ouro, os Córregos Cambucás, Salto D´água, e Ramiro, os Rios Morto e Camarupi, as valas do Consórcio, Jacaré e Pedras e por fim o Rio Gargoá, já em Tamoios.

De acordo com o biólogo Eduardo Pimenta, coordenador-geral de Meio Ambiente da Prefeitura de Cabo Frio, o Rio São João é uma das maiores riquezas do estado e que tem que ser preservado.

“Cabo Frio possui rios caudalosos, o maior deles é o Rio São João, que faz o limite de Cabo Frio com o município de Casimiro de Abreu. Ele é muito importante, tanto para o ecossistema como para os pescadores que dependem dele para tirar o seu sustento. Por isso, está sendo feita uma fiscalização ostensiva para a preservação do mangue”, conta ele.

Rio Gargoá
O Rio Gargoá possui uma história que muitos cabo-frienses desconhecem. Ele nasce dentro da Reserva da Marinha do Brasil, uma área de mata fechada que pertence à Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia, cuja entrada é proibida, e que fica no limite entre Cabo Frio e Búzios.

Nos tempos áureos, o Rio Gargoá interligava a Marinha ao Rio São João. Mas hoje infelizmente ele não possui mais essa conexão, devido ao assoreamento e à ação do homem ao longo do tempo. Ele foi muito utilizado pelos índios que habitavam a região como fonte de pesca. 

O Rio Gargoá corre paralelo ao Corredor Verde em toda a sua extensão, com aproximadamente 15 Km. O Corredor Verde serve de ligação de dois importantes parques, o da Preguiça e do Mico Leão Dourado. O Corredor Verde é um espaço livre ao longo de corredores naturais, como frentes ribeirinhas, cursos de água, canais, áreas convertidas para o uso recreativo e que também servem para passagem de animais, ou que ligam entre si áreas verdes, como parques, reservas naturais, patrimônio cultural e áreas habitacionais. É de suma importância para a manutenção da biodiversidade do local, preservando a fauna e a flora existentes.

Segundo Pimenta, as ações realizadas no Rio Gargoá são um desafio, pois o crescimento desordenado deve ser combatido:

“Estão sendo realizadas ações de revitalização do rio e de combate às invasões. O crescimento urbano desordenado é um problema que estamos lutando para coibir”, disse o coordenador.